quarta-feira, 6 de abril de 2016

URGENTE BRASIL-MSN-Maluf acusa Dilma de 'comprar' votos contra impeachment com cargos-(ELA USA DINHEIRO DO POVO)

AL JAZEERA NEWS-Keiko Fujimori's presidential bid angers Peruvians


USA-GULFNEWS-What we learned from the Wisconsin primaries

MENA -GULFNEWS-LEBANON Nilesat stops broadcasting Hezbollah channel

QATAR NEWS-Israeli hospitals segregating Arabs from Jews

DUBAI NEWS-Saudi king on landmark trip to Egypt

ARAB NEWS-Arabs, Canadians handed 6 months by Emirati court for Hezbollah l...

URGENTE BRASIL-VEJA AQUI ESCANDALO (Panama Papers)TEM BRASILEIROS NA LISTA

PORTUGAL ATUALIDADES- ​Afinal, havia outro Idalécio (ou como os Panama Papers puseram Queirã no mapa) ​Afinal, havia outro Idalécio (ou como os Panama Papers puseram Queirã no mapa)

Maluf acusa Dilma de 'comprar' votos contra impeachment com cargos

© Montagem/Agência Brasil
O deputado Paulo Maluf (PP-SP) acusou a presidente Dilma Rousseff de comprar votos dos deputados do seu partido contra o impeachment. À Folha de S.Paulo, ele disse que a troca pelo apoio está sendo feita com cargos. Um dos cargos em negociação seria o de ministro da Educação.
"O governo está se metendo num processo de compra e venda que é detestável. (…) Querem construir maioria no Legislativo dividindo o Executivo. Não é assim", afirmou àFolha.
Integrantes da comissão que analisa do impeachment, ele diz que a negociação o desobriga de seguir a postura do governo na votação. Ele disse não querer fazer umainjustiça com a presidente, “que é uma senhora correta, de vida limpa”, mas está mudando de tendência.
Ainda à Folha, ele elogiou o vice Michel Temer. "O Michel é um sujeito correto e decente. É um homem respeitado, um político nota 10.”
Também nesta terça-feira (5), o deputado Paulinho da Força (SD-SP) também acusou o governo de compra de votos. Disse que o Planalto está negociando a ausência no dia da votação em plenário por R$ 400 mil e R$ 2 milhões para quem votar contra. O parlamentar, no entanto, não apresentou provas nem disse que estava sendo assediado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário